Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |   

Protecção Integrada

A videira, como qualquer planta, desenvolve um sistema radicular e um sistema aéreo. O sistema radicular desenvolve-se no solo e no subsolo durante toda a vida.

O sistema aéreo é formado por um tronco que se divide em vários braços – ramos de poda, que podem ser longos (varas, pampanos, etc.) ou curtos (talões, etc.).

A poda consiste essencialmente, no corte de certas varas, com o fim de melhorar as condições de produção da videira, harmonizando a parte aérea com a subterrânea (raízes), deve-se praticar durante o repouso vegetativo do mês de Novembro ao mês de Março.

Esta operação tem por objectivos: contrariar a expansão vegetativa da videira; limitar o número de gomos, para manter uma relação de equilíbrio, entre a planta e as condições ambientais (solo, água, nutrientes, operações culturais), com o intuito de obter plantas com um vigor adequado; limitar o número de varas; contribuir para uma maior longevidade da videira, aumentando a sua vida útil.

Os sistemas de poda usados na nossa região são os seguintes: Poda Guyot simples; Poda Guyot duplo; Cordão Unilateral e Cordão Bilateral.

A forma correcta de fazer o corte é um ligeiro ângulo, próximo da horizontal, e com a parte mais alta do lado do gomo mais perto que se pretende deixar (C). Entre o gomo e o corte, deverão ficar cerca de 1.5/2.0cm de madeira.

Nos cortes mais extensos para evitar aparecimento e transmissão de doenças do lenho (Esca, Eutipiose, etc,), é conveniente desinfectar o corte e o material utilizado para o mesmo, com produtos à base de carbendazime + flusilazol, nome comercial ESCUDO.

 

Voltar